quarta-feira, 20 de julho de 2016

Considerações iniciais: "Entre Deuses e Homens - Canção do Desequilíbrio"

Primeiramente, desejo as boas vindas ao Hiken & Devaneios. Espero que gostem dos conteúdos que aqui disponibilizarei nos próximos dias. Sintam-se em casa, para comentar, criticar e dar opiniões. Só leiam com moderação para não se deixarem levar nos devaneios xD.

Então já falando sobre o "Entre Deuses e Homens - Canção do Desequilíbrio", eu gostaria de destacar algumas coisas para que o leitor situe-se melhor na história e consiga entender os pontos, que se mostram logo no prólogo e a partir dele, sobre os quais a história não tratará diretamente nos capítulos vindouros. Sem mais delongas, vamos lá:

1 - A história está sendo escrita para uma campanha de RPG de mesa.

Mais especificamente falando, a história é um plot para os eventos que ocorrem nas sessões de RPG de mesa, no caso Dungeons & Dragons.

Eu, Hiken, trabalho como o mestre dessa campanha, formulando e controlando o mundo em que os personagens vivem, ao maior estilo Deus Ex Machina. Várias criaturas e personagens são baseados nos originais para Dungeons & Dragons, encontrados nos manuais de monstros, além de outras literaturas, assim como toda a estrutura cosmológica e o panteão divino presente na trama. Enfim, a história é desenvolvida por mim, baseando-me em tais elementos para criar algo original (da melhor forma possível xP).

Outros mestres que acompanharem a história e se interessarem, estão livres para usá-la em suas campanhas, adaptando-a da forma que acharem adequado. A única coisa que peço é a atribuição dos devidos créditos a mim e ao Blog.

Além disso, por ser uma história que ocorre enquanto jogadores interpretam, ela está totalmente sujeita a seguir os rumos que os jogadores desta campanha resolverem trilhar. Por exemplo: suponhamos que um grande dragão vermelho fosse a peça chave para a solução de um enigma que levaria os jogadores ao destino correto, mas eles resolvem matar o dragão sem conversar com ele. A história seguiria o rumo adequado a essa situação. Então, pode-se dizer que esta é a história da vida dos personagens dos jogadores, tendo a personalidade deles profundamente agregada à ela.

2 - Entre Deuses e Homens é uma sequência de outra história já findada.

Por se tratar de uma campanha de RPG de mesa, os eventos em Entre Deuses e Homens ocorrem ao fim de uma aventura à parte, cujos personagens foram aproveitados para dar sequência à campanha. Outro mestre (agora um jogador, nosso magnífico paladino Domeni) estava encarregado dessa outra história. Então, para entender melhor o que ocorre nos primeiros momentos deixarei um brevíssimo resumo dos eventos que precederam o prólogo:

"Um grupo de cinco aventureiros, seguindo as orientações de Smar, um rei de um plano além do Material, foram até as ruínas de um povo antigo, os Aldarianos, a fim de conseguir acesso a uma região antes inexplorada do lugar.

Após uma série de eventos, ele descobrem lá uma espada forjada por deuses, com poder absoluto e indescritível, o Planetário. Tal espada é senciente e capaz de dominar a mente de quem a toca, tornando o infeliz sujeito num escravo de seus desígnios.

Em tempos antigos, o Planetário havia sido usado para destruir nações, mas foi selado junto à criatura que estava possuindo na época. Os Aldarianos não tinham conhecimento que o Planetário era a espada, eles achavam que era só uma espada mágica qualquer e o verdadeiro poder vinha da criatura que a empunhava.

Um dos aventureiros então, inadvertidamente, empunhou a espada e foi controlado por ela, trazendo grande destruição."

Os aventureiros eram:

Atrocitus, o guerreiro (eu controlava tal personagem).
Paimei, o monge.
Gillion, o arqueiro marcial.
Tobias, o clérigo.
Calter, o bruxo.

Então, a história que escrevo atualmente dá-se ao fim dessa, após a batalha contra o Planetário. Tenha isso em mente ao ler. É possível que no futuro, em associação com o antigo mestre, haja a possibilidade de postar aqui no blog a história predecessora, mas isso cabe ao futuro dizer. No momento, Entre Deuses e Homens é prioridade máxima.

3 - Fuga da realidade e referências

Apesar da proposta de tentar ser um épico, Entre Deuses e Homens pode apresentar anacronismos (Bazucas no concurso de arquearia? Pode sim, abiguinho!! xD) e/ou referências a obras de outros autores, como os já citados conteúdos de Dungeons & Dragons, além de séries, como Game of Thrones, e outras fontes de entretenimento do mundo nerd, mas nada muito ao pé da letra, sempre procurando manter a originalidade e a lógica.

Enfim esses são os pontos que eu gostaria de destacar. Fiquem atentos, pois em breve o prólogo da história será publicado aqui no Blog e somente aqui.

Um forte abraço,
Hiken.

Nenhum comentário:

Postar um comentário